Após dois anos e meio de trabalho, o técnico Oswaldo Alvarez deixou o comando da Seleção Brasileira de Futebol Feminino. A decisão foi tomada pela cúpula da Confederação Brasileira de Futebol, nesta terça-feira (01/11).

A frente da seleção canarinho, o treinador disputou oito competições – Copa América (2014), Algarve Cup (2015/2016), Torneio Internacional de Brasília (2014) e Natal (2015), Mundial (2015) e Pan Americano (2015) e as Olimpíadas do Rio (2016). Foram 103 gols marcados e apenas 21 sofridos. Conquistaram medalhas de ouro na Copa América, no Pan Americano e nos torneios de Brasília e Natal, a prata em Algarve (2016) e o 4º lugar nas Olimpíadas (2016).

Ele falou sobre sua satisfação em trabalhar com as atletas e relembrou o início da sua trajetória. “Quando eu cheguei, tive pouco tempo para trabalhar antes de nossa primeira competição, que era a Copa América, no Equador. E mesmo assim, as meninas me receberam de uma forma muito carinhosa. Em todo este tempo respeitaram minha filosofia de trabalho. Foram dois anos e meio de uma convivência extraordinária. Uma troca de experiências diária com as atletas e a comissão. É um trabalho que vou lembrar com muito carinho para o resto da minha vida”.

Para Vadão, o momento é de agradecer a oportunidade de fazer parte da Seleção Brasileira. “Eu só tenho a agradecer. Desde que assumi este desafio, sempre disse o quanto esta oportunidade oxigenou minha carreira. Tive a confiança do presidente ao longo deste período, trabalhei com atletas incríveis como Marta e Formiga e pude disputar campeonatos importantíssimos como o Mundial, Pan e, em especial, as Olimpíadas. Me sinto privilegiado por fazer parte da história da Seleção”.