Foi um teste de sobrevivência! As comandadas pelo técnico Oswaldo Alvarez deram o sangue em campo e garantiram a classificação nos pênaltis para as semi-finais das Olimpíadas na noite desta sexta-feira, no Mineirão. Com um pênalti perdido por Marta e duas defesas sensacionais de Bárbara, a Seleção Brasileira eliminou a australiana e levou os torcedores à loucura em Belo Horizonte.

Para Vadão, a vitória de hoje só foi possível pelo trabalho realizado com a seleção permanente. “Nós sabíamos que seria um jogo difícil, mas dominamos bem a partida e desperdiçamos várias oportunidades de gol. Elas só levaram perigo com a bola aérea. Nós só conseguimos chegar até os pênaltis por causa da seleção permanente. Preciso mais uma vez agradecer a confiança que o presidente depositou em nós e tudo o que ele vem fazendo para que a gente tenha condições de competir em alto nível. Jogar 120 minutos no ritmo em que nós jogamos, não é para qualquer um”.

O treinador também destacou o psicológico das atletas que mantiveram o foco e estavam seguras nas cobranças de pênalti. “Emocionalmente a gente estava muito bem. O trabalho psicológico que fizemos com o Serapião foi muito bom. As meninas bateram com tranquilidade os pênaltis e a gente teve sucesso”, comentou Vadão que ainda falou sobre a expectativa de reencontrar a Suécia nas semi. “Temos que ter em mente que estamos preparados. Saímos ainda mais fortalecidos deste jogo. Mas, não será como na fase de grupos. O momento é outro”.

Brasil e Suécia se enfrentam nesta terça-feira, às 13h, no Maracanã.

 

(Foto: Ricardo Stuckert/CBF)